naiara azeved


Daniel Pereira negocia com o STF dívida de R$ 126 milhões que Confúcio não pagou por 4 anos

BRASÍLIA: Em reunião nessa terça-feira (4) o governador de Rondônia, Daniel Pereira, reuniu-se no Supremo Tribunal Federal (STF) com o juiz Ricardo Rachid de Oliveira e com representantes da Advocacia Geral da União (AGU) e Secretaria do Tesouro Nacional (STN). A pauta foi o parcelamento dos R$ 126 milhões referentes ao período de quatro anos em que o ex-governador Confúcio deixou de pagar a dívida do extinto Banco do Estado de Rondônia (Beron), já que o processo esteve suspenso liminarmente
O procurador-geral do Estado de Rondônia, Juraci Jorge da Silva, iniciou a reunião com a explicação do saldo que é atribuído ao Estado por conta do acordo celebrado no mês de agosto com a União. Ele descreveu a liminar que fora concedida à Rondônia suspendendo o desconto mensal do pagamento da dívida do Beron no período das enchentes do Rio Madeira em 2014. No acordo assinado, a União sustentava que os recursos que não foram pagos da dívida no período fossem liquidados em uma só parcela.

Contraponto

Em seguida os técnicos da STN apresentaram os números do Produto Interno Bruto (PIB) de Rondônia e a capacidade de endividamento que o Estado detém. Imediatamente o governador Daniel Pereira esclareceu que, embora o Estado esteja dentro do limite prudencial de gastos, o pagamento integral requerido pelo governo federal deixaria o estado sem possibilidade de executar ações sociais e cumprir compromissos. “Queremos deixar claro aos senhores que, quando solicitamos a suspensão do pagamento em 2014, foi por conta de uma situação calamitosa que até hoje pagamos o preço e o governo federal não colocou um centavo no Estado para ajudar”, asseverou.
Pereira pontuou que diversas unidades dos empreendimentos do Minha Casa Minha Vida foram transferidas para populares que perderam a casa e seus bens. “Vilas inteiras simplesmente desapareceram e tivemos que amparar estas pessoas, mesmo com os poucos recursos que temos”, disse.

Novo encontro

O juiz Ricardo Rachid pediu o pronunciamento da secretária-geral de Contencioso da AGU, Isadora Maria Cartaxo de Arruda. Ela explicou que não há legislação específica que possa reger um acordo sobre este saldo de dívida. Ao questionar o governador Daniel se o Estado propõe um acordo, o secretário de Finanças de Rondônia (Sefin), Franco Ono, declarou que já foi protocolada uma proposta na STN e que foi rejeitada.
Ricardo Oliveira pediu à AGU que verifique com a área técnica do órgão a possibilidade de chegar a um número para que o ministro Edson Fachin possa homologar um acordo entre as partes. O juiz suspendeu a reunião e marcou um novo encontro para o dia 13, onde pode-se assinar um termo entre as partes. Ele afirmou ainda que um encontro com a ministra da AGU Grace Fernandes, pode lapidar ainda mais um eminente acordo.
Também estiveram na reunião os procuradores do Estado de Rondônia Eder Guarnieri e Alexandre Fonseca.

Fonte: Rondonoticias

Vejá também

RO : Após ex-namorada negar pagar açaí para ele , homem quebra mesa e tigelas de lanchonete

Suspeito não foi localizado pela polícia. Confusão aconteceu em Alta Floresta do Oeste. Um homem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *