Espaço sem Banner de Publicidade



A História da Música em Jaru: Banda Pelô Art



 

 

A história da banda Pelô Art teve início na Associação Cultural, Social e Desportiva WS, organização poliesportiva criada em Jaru pelo professor de educação física, Uelton Délio Ribeiro Salomão, em 23 de agosto de 1994. Tudo começou quando, ainda na infância, os futuros componentes praticavam esporte na principal entidade jaruense para revelação de talentos futebolísticos na infância e adolescência. Conforme recorda Vanderson Pereira Lycurgo, o Nenem Lycurgo, o ponto inicial foi uma brincadeira feita após as práticas esportivas e no trajeto das viagens com a participação de alguns atleta s e com isso foi se idealizando o que seria uma formação musical propriamente dita.
O atleta Lu Handlay Ribeiro conhecido entre o grupo como “Texera” fazia batucada junto com Francisco Silvestre Junior (Nego Azul), entre outros que lhes acompanhavam, tais como Tiririu (Cleidivan Vilas Boas de Andrade), Cleiton, Erlinho e Jonas Junior Jesus Cruz (que hoje está presente apenas na memória devido ao seu falecimento). Nenem Lycurgo disse ao autor que foi convidado por Tiririu e Nego Azul para criarem a primeira banda formada por pessoas que tinham o esporte como algo em comum e que construíram boa parte da vida de forma conjunta. 

Tudo caminhava da melhor forma possível, mas faltava definir o nome do conjunto musical. Então Lu Handlay resolve denominá-lo como Pelô Art. A palavra “Pelô” se refere ao Pelourinho, nome de um famoso bairro existente na capital baiana, também conhecido como Pelô. “Art”, a segunda parte da nomenclatura, é interpretada como algo que possui um sentindo muito amplo e mensurado como tudo o que se refere à música, dança e outras habilidades que podem ser concebidas pela mente humana. As primeiras apresentações foram realizadas no ano de 2007 na escola estadual Plácido de Castro, em Jaru, município do interior rondoniense. Desde o seu início, a banda já apresentava em seu repertório músicas tipicamente do universo afro e encantou o público que acompanha esse tipo de trabalho. Com isso, em 2009, a banda iniciou profissionalmente as suas atividades musicais e passou a atender agendas em vários lugares.



Em sua trajetória, a Pelô Art contou com diversos integrantes, embora, registra-se que, durante o período carnavalesco, o número aumentava consideravelmente para atender as necessidades do público. Alguns desempenharam as suas funções no formato freelance (expressão inglesa para se referir a um trabalho feito sem nenhum tipo de vínculo ou compromisso para muito tempo, ou seja, apenas em algumas eventualidades). Nomes como o do professor de dança Benedito Neto (Binho Neto), Pamella Michelle, Wilson Baixista, Enderson Pantoja, Fabiana Lima (Banda Maria Juana), Otávio Filho e Gean Carvalho fizeram uso desse formato.  Alguns não fazem mais parte da banda como Francisco Junior (Nego Azul) e João Carlos Ribeiro (Jotta) que residem em Madri (Espanha), Gleidson Marcos Leal, residente na Flórida (Estados Unidos da América), Wendell Ricardo (que depois foi para a também banda jaruense Swing & Country), Wesley Silva e Adriano Machado Medeiros. 

Além dos nomes já citados, ajudaram a construir a carreira musical da banda os seguintes artistas: João Carlos (violinista), Bruno Assis Lara (tecladista). Vanderson Pereira Lycurgo, o Nenem do Cavaco, atua como cantor e instrumentista e, com o apoio dos demais componentes, faz com que seja construída uma carreira sólida e duradora. A banda possui algumas composições próprias, mas até janeiro de 2019 não havia gravado nenhuma obra musical. As canções foram elaboradas com o objetivo de proporcionar uma melhor coreografia do trabalho que estava sendo apresentado no palco e com isso animar ainda mais a plateia ávida por uma canção dan&ccedil ;ante e envolvente. 

O repertório artístico conta uma variedade de estilos e com isso consegue cativar o público de acordo com a preferência musical. O universo da Bahia não se restringe ao nome da banda em si, mas está presente através de “quebradeira, pagodão e swingueira”, algumas das formas de se referir ao pagode baiano. Há diversos ritmos que trazem consigo o nome da banda em destaque: o Pelô Art Acústico (pagode) Pelô Art do Povão (músicas baianas de grande sucesso em geral), além de uma vertente sertaneja desenvolvida pelo próprio Nenem Lycurgo. Por contar com um repertório bastante eclético, a Pelô Art já ma rcou presença em vários estados brasileiros, entre eles, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Acre e, claro, a Bahia, a unidade da federação que possui um estilo musical marcante e que serviu de inspiração para a banda. A carreira internacional já contabiliza quatro países até janeiro de 2019: Chile, Peru, Venezuela e Paraguai, o que demonstra que a música jaruense tem potencial para ultrapassar fronteiras geográficas. 

Todos os integrantes da banda Pelô Art são gratos ao responsável pela escolinha de futebol WS, o professor Uelton Salomão que, desde o início tem incentivado-os na carreira musical e esportiva, além de divulgá-los nos eventos que a entidade sob a sua responsabilidade realiza. Alguns integrantes do conjunto musical iniciado na WS chegaram a participar de eventos esportivos em São Paulo e Rio de Janeiro, levando assim não apenas o nome do local onde realizavam os treinamentos, mas do município de Jaru.

A publicação da série “A História da Música em Jaru” está sendo possível graças a uma parceria entre os principais sites do município e o escritor Elias Gonçalves Pereira. Os textos serão publicados de 13 de maio a 06 de junho de 2019, data em que o escritor lançará o livro “Um Tratado sobre a Música, a Literatura e a Comunicação Jaruense” nas dependências da Associação Comercial e Industrial de Jaru, a ACIJ. 

As reportagens estão sendo publicadas na seguinte ordem:
01. Destaques das décadas de 1970 e 1980 – 13/05/2019 
02. Juca & Marquinhos – Banda Swing & Country – 14/05/2019
03. Pescador & Garimpeiro – Diamante & Garimpeiro – 15/05/2019
04. Jorge Faccini – 16/05/2019
05. Jenival Silva – 17/05/2019
06. Geoni e Geonito – 20/05/2019
07. Idair Ferreira – 21/05/2019
08. Marcos Paulo & Claudney – Banda Los Arcanjos – 22/05/2019
09. Dalberto & Darnel – 23/05/2019
10. Márcio & Messias – Banda Flash Music – 24/05/2019
11. Mário & Marquinhos – 27/05/2019
12. Eder & Eder – 28/05/2019
13. Divas Diogo – 29/05/2019
14. Heliane Markes – 30/05/2019
15. Arllan Cardek e Banda Maria Juana – 31/05/2019
16. Gilson Fagner – 03/06/2019
17. Banda Country Music / Albatroz – 04/06/2019
18. Beto Neves – 05/06/2019
19. Banda Pelô Art – 06/06/2019

Fonte: Elias Gonçalves
Fotos: Arquivo Pessoal: Banda Pelô Art
Copyright© 2019. Todos os direitos reservados.



Vejá também

Jaru: P.R.F captura foragido da Justiça acusado de estupro

JARU RO – Policiais Rodoviários Federais, em fiscalização de trânsito na BR 364, no município de Jaru/RO, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *